GainCast#27 - A contadora da bolsa chegou para domar os seus tributos da renda variável: Alice Porto

Atualizado: Jun 30


Com o lema "Eu vou domar o leão dos seus tributos de renda variável", Alice Porto é criadora do maior instagram de conteúdos sobre contabilidade para investidores. Ela é a Contadora da Bolsa.


Quando começou a operar, não encontrava pessoas que soubessem fazer a contabilidade dos seus investimentos e por isso decidiu aprender e disseminar esse conteúdo para todos nós.


Alice se encantou pelo mercado financeiro quando descobriu que o dinheiro poderia trabalhar para ela. De mercado a termo, a mini contratos (os preferidos dos Day Traders), ela já investiu. Sem tempo para se dedicar ao Day Trade, Alice optou pelas operações de Buy&Hold.


É bem verdade, que declarar investimentos no IR é algo que assusta as pessoas, muitas travam só de ouvir falar em Receita Federal. Para mudar isso, os investidores precisam olhar para a declaração do imposto de renda como algo detalhado, e não difícil.


Vamos às regras: Investimentos sem IR na renda variável


  • Se dentro do mês suas vendas forem inferiores a 20 mil reais, o seu lucro de ações de Swing Trade é isento I.R.

  • Lucro de Day Trade e de FIIs não têm essa isenção.

  • Para Day Trade ou Swing Trade que não sejam ações e houve lucro você deve pagar o I.R. que é mensal através da DARF e irá declarar uma vez ao ano.

Vale ressaltar que é preciso ficar atento caso você tenha prejuízos nos meses anteriores.

  • Primeiro você deverá compensar as perdas dentro do ano e só aí começará a pagar imposto.

  • Para Day Trade, a alíquota de imposto de renda é de 20% e no Swing Trade, de 15%. Sempre sobre o lucro. E os pagamentos devem ser feitos no último dia útil do mês seguinte ao mês que teve lucro. Ou seja, se teve seu lucro no mês de março, deverá pagar o imposto até o último dia útil de abril.


Uma dúvida que todos tem: posso misturar as operações de Day Trade com Swing Trade?


R. Você não pode misturar a declaração de Day Trade com a de Swing Trade, assim como também não pode misturar essas operações com a declaração dos FIIs.

Antigamente, quando se operava mercado de renda variável muitos não declaravam seus impostos por pensarem que a Receita Federal não tinha ferramentas para identificar quem não declarava seus ganhos na Bolsa de Valores. Ao longo dos anos esse panorama mudou por conta do I.R.R.F (Imposto de Renda Retido na Fonte), ou mais conhecido pelos traders como o FAMOSO DEDO DURO. Se você está operando na bolsa a Receita Federal já sabe por conta do imposto retido na nota de corretagem e ela estará aguardando sua declaração anual, mesmo que seja para declarar os prejuízos. Sim meu caro trader, você também deverá declarar quando tiver prejuízos, à única diferença é que não pagará o imposto, visto que, não houve lucro nas operações.


E se por descuido ou falta de conhecimento o investidor esqueceu-se de pagar suas DARFs e declarar seu imposto de renda, quais medidas adotar para sanar o problema?


R. É muito fácil, basta fazer tudo retroativo como se fosse hoje, vai pegar todas suas notas de corretagem desde quando começou na bolsa ou desde quando declarou pela última vez fará o cálculo de cada vez e se tiver DARF, ai terá um problema, pois haverá multa e juros; a multa é limitada a 20% sobre o valor total devido, já os juros são diários e atrelado à taxa Selic; e será necessário retificar as declarações dos anos anteriores caso esteja atrasado mais de um ano.


E qual é o maior erro dos investidores em relação ao Imposto de Renda na visão da Contadora da Bolsa?


R. Não entregar a declaração anual informando os investimentos na Bolsa de Valores.

Sobre os prejuízos que tivemos com as quedas recentes no mercado de ações, como fica nossa declaração e pagamento da DARF?

Devemos lembrar que só haverá prejuízo se o investidor tiver vendido suas posições no mercado. Caso contrário, houve uma desvalorização da carteira, mas não houve apuração do prejuízo. Vamos deixar claro que só falamos de lucro ou prejuízo quando saímos do mercado e stopamos aquela operação independente se tivemos Gain ou Loss, após isto poderemos falar de lucro ou prejuízo na operação.

Não é possível abater o prejuízo do mês vigente na DARF do mês anterior, quando falamos de abatimento ele será feito somente dentro do mês ou nos meses seguintes.


O que podemos deduzir de fato na hora da declaração?


R. Podemos deduzir tudo o que está na nota de corretagem, as taxas de corretagens, emolumentos, liquidação e ISS caso tenha descontado. Despesas que estão fora da nota de corretagem não entram nessa dedução, ou seja, taxa de plataforma, internet e outros não podem ser abatidos.


Dica da Contadora: Contrate as calculadoras de I.R. para anexar suas notas de corretagem, mas vale algumas ressalvas e aqui vão elas;

  • Confira se todas as notas de corretagem foram importadas;

  • Caso tenha algum evento corporativo como IPO, desdobramento, exercício de subscrição, você deverá ajudar a calculadora a entender esses detalhes.


E no caso de investimentos em ações no CPF dos nossos dependentes menores de idade?


R. Em nossa declaração anual informaremos os investimentos dos nossos dependentes e não podemos deixar de informar os investimentos dos nossos dependentes.


63 visualizações

toda segunda novos episódios